Loading Loading...
 

Lugar do Discurso

28 de Abril ::: 18h00

O Que é Feito do Star System da Arquitetura?

Biblioteca da Ordem dos Arquitectos – Secção Regional Sul

ENTRADA LIVRE

Organização:
Paulo Tormenta Pinto

Convidado:
André Tavares
Joaquim Moreno
Nuno Grande
Tiago Mota Saraiva

Mais informações

Em Junho de 1937, a revista A Arquitectura Portuguesa e Cerâmica e Edificação (Reunidas) dedicava o número 27 praticamente na íntegra a Cassiano Branco. A dupla constituída por Júlio Martins, industrial ceramista e Thomaz Ribeiro Colaço, plumitivo escritor e ensaísta, que assumiu a direção do periódico, entre 1935 e 1945, atribuiu a Cassiano o estatuto de protagonista. O arquitecto do Victória-Hotel e do ousado plano da Caparica foi aquele que mais vezes viu a sua obra publicada enquanto a direção da revista se manteve partilhada entre Martins e Colaço, personagens oriundos de mundos diversos, externos à disciplina arquitetónica. Cassiano deu expressão ao impulso económico e industrial gerado na década de 1930, associado à afirmação contextual do Estado Novo.

Entre a década de 1930 e o período atual existem profundas diferenças conjunturais, as quais pressupõem enquadramentos igualmente diferenciados em relação ao modo como são tratados os autores da arquitetura na impressa especializada.

A partir de Cassiano Branco lança-se um debate em torno do protagonismo de arquitetos em revistas especializadas ou periódicos generalistas, bem como sobre o modo como através destes media é explorada a personalidade autoral dos mesmos.