Loading Loading...
 

Intervenção Urbana

No passado dia 14 de dezembro decorreu o seminário/happening na Rua da Barroca, no Bairro Alto em Lisboa.

Galeria ZDB (Rua da Barroca, N.º 59, Lisboa) entre as 18h00 e as 20h00 - Beyond Visible: Intervenção urbana em espaços liminares

N.º9 -13 da Rua da Barroca entre as 21h30 e as 02h00 - Um happening e uma mesa-redonda na semana do Bairro Alto

Para visualizar o programa, clicar.

 

 

Para visitar o site da iniciativa, clicar.

Beyond Visible: Intervenção urbana em espaços liminares

O espaço/esfera público dos bairros criativos é marcado por múltiplas camadas justapostas, nem sempre claras ou visíveis para aqueles que nelas se movem quotidianamente. São espaços de liminaridade e de expressão e afirmação social, implicitamente marcados e lidos de forma diferenciada pelos seus diversos utilizadores. São alvo de múltiplas codificações e representações, social e culturalmente aproveitadas por quem neles actua. Qual o potencial para a  intervenção urbana e a prática artística no espaço público destes bairros? Qual a especificidade destas apropriações no mundo contemporâneo? Como pensar uma cidade apropriável e amigável para a intervenção artística? Como manter a vitalidade e a dinâmica criativa nestes espaços públicos, sem cair na gentrificação e na turistificação?

Na sequência dos projectos anteriormente realizados pelo DINAMIA’CET-IUL no Bairro Alto e em outros “bairros criativos”, pretende-se discutir neste evento as múltiplas camadas de codificação que estão sempre presentes num bairro com estas características.

Um bairro cultural é constituído por múltiplas vivências e uma diversidade de quotidianos e de identidades que se cruzam no dia a dia e constituem o tecido urbano e criativo do bairro, muitas vezes sem se tocarem ou sequer ter consciência umas acerca das outras. Cada parte do bairro (e mesmo cada altura do dia) são percepcionados de maneira diversa pelas pessoas que nele circulam, que nele vivem e que dele se apropriam no seu quotidiano. A mesma rua ou a mesma esquina têm significados diferentes e são entendidos, vividos e apreendidos de formas muito diversas por diferentes pessoas, sendo portanto essas realidades (des)codificadas distintamente por diferentes grupos sociais e diferentes subculturas.

É este o ponto de partida para o seminário / mesa-redonda e para o happening / intervenção urbana realizados no âmbito deste evento. Promovendo um debate “informal” sobre as camadas de codificação no bairro e os processos de liminaridade que nele se desenrolam, pretende-se discutir a questão da intervenção artística urbana na esfera pública, tendo por referência o espaço dos bairros criativos e as lógicas de participação e de (re)produção da cidade contemporânea.

Um happening e uma mesa-redonda na semana do Bairro Alto.

E se durante uma noite pudesse construir a sua própria exposição? Parece-lhe impossível? Então apareça dia 14 de Dezembro, a partir das 21.30,  na rua da Barroca no Bairro Alto (número 9 a 13), pegue numa lanterna, conduza-a e surpreenda-se com aquilo que um pequeno foco de luz é capaz de lhe mostrar.

O happening Beyond Visible promete despertar-lhe todos os sentidos e dar-lhe a conhecer não um, mas muitos Bairros Altos, dos mais imediatos aos menos óbvios, através da música, teatro e relatos dos seus transeuntes. O melhor? É você quem escolhe, o que quer ver, ouvir, sentir…

Na fachada do edifício, várias imagens do bairro recolhidas ao longo dos anos chamam por si. Ao entrar no número 9, vai demorar a habituar-se à escuridão total. Conta apenas com a ajuda de uma lanterna que iluminará o percurso por si escolhido, ao longo do qual encontrará intervenções musicais, performances de teatro e testemunhos reais sobre o Bairro Alto.

Só lhe pedimos uma coisa: escolha bem o caminho e tenha cuidado para não cair no poço com mais de 400 anos donde ouvirá alguns dos mais remotos sons do bairro. No final, deixe ficar um pouco de você mesmo na exposição.

Beyond Visible é uma intervenção urbana que vai ser apresentada no âmbito das comemorações do Bairro Alto e é a terceira exposição da dupla de fotógrafos Pedro Costa e Ricardo Lopes. Depois de “Espaços Liminares” em 2010 e  “Bairros como Nós”, em 2011, arriscam mais uma vez dar a conhecer o lado invisível do bairro através de uma intervenção artística e original.

Este happening conta com a colaboração de um amplo conjunto de artistas convidados, de diferentes áreas (os fotógrafos Alexandre Abreu, Carolina Diego, Mariana Cortes e Thiago Feitosa; os performers Beatriz Henriques e Nuno Antunes, e o som que fica a cargo dos “marco” [lê-se João-Pedro-João]), os quais vão interagindo in situ e em tempo real.

Em paralelo, realiza-se a partir das 18 horas, na Galeria Zé dos Bois (ZDB), uma mesa redonda, moderada igualmente  por Pedro Costa e Ricardo Lopes, ambos investigadores do DINÂMIA’CET-IUL, na qual de forma informal se discute o potencial da intervenção artística na esfera pública, em particular em espaços liminares como o do Bairro Alto. Participam no debate, António Louro, do Atelier MOOV, Joana Craveiro do Teatro do Vestido, Miguel Januário, aka Mais Menos, e os investigadores Mirian Tavares, Pedro Botelho e Luis Balula.