Loading Loading...
 

Ciclo de Seminários

SEMINÁRIO + DEBATE

Aderir ao evento

 CRISES: O JORNALISMO E A ECONOMIA DO SÉCULO XXI
29 DE SETEMBRO | 16H00 | Aud. J.J. Laginha | ISCTE-IUL

TIAGO MATA  | University College LondonDEBATE
Elisabete Miranda - Jornal de Negócios
João R. de Almeida - Obs. Sobre Crises e Alternativas – CES
Nicolau Santos - Expresso
Sérgio Aníbal - Público

No dia 29 de Setembro irá ter início o Ciclo de Seminários Crises: o jornalismo e a economia no século XXI. O Seminário conta com a apresentação de Tiago Mata (University College London) que promoverá o debate entre jornalistas portugueses da área económica. Tiago Mata tem desenvolvido investigação inovadora e interdisciplinar sobre a forma como o conhecimento económico é comunicado. O investigador é responsável pelo projeto ECONPUBLIC financiado pelo European Research Council e que analisa  o jornalismo económico nos seguintes países: EUA, Reino Unido, França, Brasil e Argentina (http://www.ucl.ac.uk/sts/research/projects/economics_in_the_public_sphere).

Apresentação

A grave e complexa crise económica e social atual, a adaptação à era digital e a globalização apresentam-se como desafios importantes ao jornalismo na última década sendo o jornalismo económico e de negócios objeto de uma dupla ambição: por um lado, os leitores esperam informação e orientação face às controvérsias relativas à política económica e ao futuro da Europa; por outro lado, os editores e os executivos apostam na informação e na notícia económica como um dos mais rentáveis géneros da nova ecologia dos media.

Há menos de 30 anos, Portugal não tinha imprensa periódica especializada em economia e os grandes títulos integravam apenas pequenas secções sobre o tema. Hoje o jornalista económico é um ator reconhecido do público português, enquanto comentador de rádio, televisão e blogues ou autor de primeiras páginas e colunas de opinião. Nesse sentido, o debate público português sobre assuntos económicos ganhou intervenientes e diversidade.

Com este pano de fundo, o Seminário tem como tema as ‘crises’. A crise económica e social e os  desafios do jornalismo surgem relacionados e decorrentes das mudanças ocorridas na sociedade portuguesa em termos de estrutura económica, prática política e complexidade do conhecimento. É preciso conhecer e compreender as crises. A crise iniciada em 2008 começou por apresentar uma natureza financeira e estar localizada nos Estados Unidos, tendo-se, posteriormente globalizado e complexificado, adquirindo uma expressão multidimensional. O  seminário aborda a questão de como o entendimento dos atuais desafios económicos é enquadrado e influenciado por certas escolhas. Os jornalistas desempenham um papel fundamental na adesão a certas ideias económicas e no apoio público a certas políticas. A forma como seleccionam os ‘factos’ relevantes e organizam a informação não é neutra – estamos perante a construção de uma ‘evidência’ sobre o sucesso ou insucesso de determinadas políticas e que estará na base da dominação de certas ideias sobre o funcionamento da economia. Questiona-se de que forma é que os jornalistas se apropriam de diferentes ideias produzidas pelos economistas, que por vezes são contraditórias, e de como se tornam eles próprios parte ativa na criação de conhecimento. Debate-se, deste modo, a relação do jornalismo económico com os diferentes saberes económicos e como as escolhas feitas pelos jornalistas condicionam o debate público.