Loading Loading...
 

Arquitectura Revista

Arquitectura Revista

18/03/2015 ::: Biblioteca Ordem dos Arquitectos Secção Regional Sul ::: 18h00

As revistas e jornais disciplinares podem entender-se como espaços de afirmação de posições e tendências. Ao mesmo tempo, para citar Nuno Portas, no contexto português a arquitectura parece ilibar-se da crítica e do contraditório, ao contrário de outras artes. Apesar de uma genérica sensação de acriticismo, em alguns momentos esta imprensa tem sido palco de rupturas e afirmação de afinidades, recompondo as posições no campo e as relações entre os pares.

Importa, neste quadro, definir até que ponto o panorama da crítica de arquitectura em Portugal constitui algo que lhe é específico comparativamente com outras áreas (literatura, pintura, escultura, cinema). Definir, também, a cartografia social dessa crítica, sociológica e historicamente.

Compreender se o léxico desta crítica constitui algo de específico em relação à crítica produzida em outros saberes e artes. Quais são, afinal, os atributos que definem a excelência de um crítico no panorama contemporâneo? Como se relaciona o discurso crítico com a questão do gosto? Qual a relação entre a crítica e a atribuição de prémios e outras distinções?

Convidados

António Guerreiro Crítico Literário Licenciado em Línguas e Literatura Moderna – Português/ Francês (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa). Entre um conjunto de publicações em revistas universitárias e literárias das quais é autor, destaca-se a obra O Acento Agudo do Presente, (Prémio do Pen Clube). É crítico literário no jornal Público.

José Manuel Fernandes Arquitecto Licenciado em Arquitectura (ESBAL, 1977). Doutorado em História da Arquitectura e do Urbanismo (FAUTL, 1993). Professor catedrático (FAUTL, 2010). Director do DA-UAL (1998-2000). Investiga, escreve e publica regularmente sobre temas de história, arquitectura e urbanismo.

Manuel Graça Dias Arquitecto Licenciado em Arquitectura (ESBAL, 1977). Doutorado em Arquitectura (FAUP, 2009). É docente na FAUP (desde 1997) e Professor Catedrático no DA/UAL (desde 1998). Dirigiu o DA/UAL (2000-2004). Presidente da Secção Portuguesa da AICA (2008-2012). Dirigiu o Jornal dos Arquitectos entre 2000/2004 e 2009/2012.

::::::::::::::::::::

O projecto O Lugar do Discurso tem o intuito de estudar e reflectir sobre a cultura editorial do periódico de arquitectura em Portugal ao longo do século XX. Como o título sugere, este projecto fixa-se no discurso ao mesmo tempo que se centra no “lugar” através do qual esse discurso é produzido e disseminado — os periódicos especializados de arquitectura. Invoca, também, uma complexa grelha de configurações formada por “quem” produz, “que” conteúdos envolve, e “como” é que se constrói este “lugar”.

Este projecto assenta, assim, no argumento de que os periódicos especializados de arquitectura são mais do que uma mera sequência de objectos impressos isolados. No seu conjunto, eles dão corpo a várias linhas discursivas cruzadas, que formam, ao longo do tempo, uma cultura editorial sustentada por constelações de relações entre editores, críticos, arquitectos e outros agentes operantes no campo.

O ciclo Temas–Capa enquadra-se nesta perspectiva. Nele procura-se reflectir sobre a forma como o discurso da arquitectura tem sido moldado pela imprensa da especialidade, propondo momentos de reflexão que tomam como ponto de partida temas, debates e problemáticas que constituíram capa das revistas de arquitectura, passíveis de reconfigurar as conjunturas em que se enquadram e a identidade dos autores que as delinearam.